$type=grid$count=3$show=home

JUSTIÇA$type=three$count=3$show=home

BRASIL$type=grid$count=3$show=home


Lula mantém vantagem ampla entre beneficiários do Auxílio Brasil

Pesquisa feita pelo Datafolha nesta semana mostra que Lula tem 56% das intenções de voto entre beneficiários do programa, e Bolsonaro, 28%.


 RICARDO BALTHAZAR

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve vantagem ampla sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL) entre eleitores que recebem o Auxílio Brasil mesmo após a liberação da segunda parcela do benefício adicional que o programa começou a pagar em agosto.



Pesquisa feita pelo Datafolha nesta semana mostra que Lula tem 56% das intenções de voto entre beneficiários do programa, e Bolsonaro, 28%. Os dois mantiveram os mesmos números do levantamento anterior, realizado há duas semanas, após o pagamento da primeira parcela .



Entre os não beneficiários, o petista oscilou de 44% para 42% das preferências, dentro da margem de erro da pesquisa, e o presidente se manteve estável, com 34%. Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) tiveram oscilações positivas nos dois grupos, também na margem.



A vantagem de Lula sobre Bolsonaro, de 28 pontos porcentuais entre os que recebem o Auxílio Brasil, cai para 22 pontos entre os eleitores que estão fora do programa social. Segundo o Datafolha, 24% dos entrevistados recebem a renda assistencial ou moram com um beneficiário do programa.



O instituto entrevistou 5.734 pessoas em 285 municípios entre terça (30) e quinta-feira (1º). A margem de erro do estudo é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%. A pesquisa foi contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo e foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).



Criado pelo governo Bolsonaro há um ano, o Auxílio Brasil atende 20 milhões de famílias em situação de pobreza e extrema pobreza. Ele substituiu o Bolsa Família, programa que Lula lançou em seu primeiro mandato e virou marca registrada das administrações petistas.



O auxílio é uma das principais apostas do presidente para recuperar sua popularidade e responder às preocupações dos eleitores com o futuro da economia em sua campanha pela reeleição, mas as pesquisas sugerem que o impacto eleitoral do programa foi reduzido.



Desde o início dos pagamentos, Bolsonaro ganhou pontos entre eleitores de baixa renda, onde se concentram os beneficiários do programa. Mas a vantagem de Lula sobre o presidente continua muito grande nesse segmento, que reúne mais da metade do eleitorado.



Entre os eleitores com renda familiar mensal de até dois salários mínimos (R$ 2.424), Lula tinha 56% das intenções de voto em maio e agora tem 54%. Bolsonaro tinha 20% das preferências nesse segmento e alcançou 25% nesta semana, de acordo a pesquisa do Datafolha.



A avaliação que os beneficiários do Auxílio Brasil fazem do desempenho do presidente à frente do governo melhorou nos últimos meses, aproximando-se da que o conjunto da população faz. Nos dois casos, porém, a avaliação do governo é predominantemente negativa.

Segundo o Datafolha, 42% dos eleitores consideram o governo Bolsonaro ruim ou péssimo, 31% o julgam ótimo ou bom e 27% o acham regular. Entre os que recebem os pagamentos do Auxílio Brasil, 41% reprovam o governo, 28% o aprovam e 30% o consideram regular.



Até julho, o Auxílio Brasil pagava R$ 400 por beneficiário. O valor total foi elevado para R$ 600 com a criação do benefício adicional, mas seu destino ainda é incerto. Por lei, o pagamento extra só está garantido até dezembro. Lula e Bolsonaro prometem mantê-lo se forem eleitos.

Pesquisas anteriores do Datafolha mostraram que a maioria dos eleitores que recebem o auxílio acha os valores pagos pelo governo insuficientes, mesmo após a introdução do benefício adicional, e acredita que ele só foi criado porque o presidente quer se reeleger.



Famílias que fazem parte do programa social também poderão contratar empréstimos consignados atrelados ao benefício, comprometendo até 40% de sua renda com os pagamentos.



O governo prevê que o consignado começará em meados de setembro. Segundo o Ministério da Cidadania, é preciso aguardar a regulamentação do órgão para, só depois, assinar contrato com as entidades que poderão oferecer o empréstimo.



A pesquisa do Datafolha mostra que a maioria não pretende tomar o crédito. Segundo o instituto, 67% dos que recebem o auxílio disseram que não pretendem contratar empréstimos na modalidade criada pelo governo. Somente 27% se disseram interessados em tomar o dinheiro nessas condições. Outros 6% disseram que não sabem o que farão.



De acordo com a lei que criou o Auxílio Brasil, podem se cadastrar para receber os pagamentos famílias em situação classificada como extrema pobreza, com renda familiar mensal per capita de até R$ 105, ou pobreza, com ganhos de até R$ 210 por integrante da família.



Conforme o Datafolha, o interesse pelo empréstimo consignado é maior entre os beneficiários com idade entre 35 e 44 anos, chegando a 32%, e entre os que possuem renda familiar mensal de dois a cinco salários mínimos (R$ 6.060), segmento em que alcança 29%.

A possibilidade dos empréstimos foi criticada por especialistas e entidades de defesa do consumidor que viram na medida um estímulo ao endividamento de famílias muito vulneráveis, que já encontram dificuldades para garantir seu sustento e por isso entraram no programa.



Mas há também situações em que o crédito pode ser vantajoso, para beneficiários que queiram abrir negócio próprio ou evitar a perda de bens dados em garantia de outros financiamentos. Juros e outras condições serão definidos pelas instituições financeiras, não pelo governo.



A pesquisa mostra que o interesse é maior entre beneficiários do Auxílio Brasil que integram segmentos menos vulneráveis do mercado de trabalho: assalariados com registro em carteira de trabalho (29%), autônomos e profissionais liberais (30%) e pequenos empresários (38%).

Comentários

Nome

BRASIL,8,CULTURA,4,ECONOMIA,16,ESPORTE,7,Exclusivo,2,FAMA,10,JUSTIÇA,5,LIFESTYLE,3,MUNDO,5,POLÍTICA,11,TECH,5,
ltr
item
Diário de Notícias As Últimas Notícias do Brasil e do Mundo: Lula mantém vantagem ampla entre beneficiários do Auxílio Brasil
Lula mantém vantagem ampla entre beneficiários do Auxílio Brasil
Pesquisa feita pelo Datafolha nesta semana mostra que Lula tem 56% das intenções de voto entre beneficiários do programa, e Bolsonaro, 28%.
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEgBIu6LZkUrLUn5_O3xqii7fwW9-0Wq7WNpXAy-MPO6gEtiqp-3A2sc7eaIOhFo1zJF-r49KxtErAdscVKEWeqZwbhMXx9iXa9vIO6OXYCkBU-EbwfHbBp7eTS8ep25idzs0WFpZoYE2fF4mOLV2_rtTeCCD7c6FVXFT5ZbzY1AL4q7x4pjJZ6SnT-U9g/w400-h225/naom_631074d2ddc77.jpg
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEgBIu6LZkUrLUn5_O3xqii7fwW9-0Wq7WNpXAy-MPO6gEtiqp-3A2sc7eaIOhFo1zJF-r49KxtErAdscVKEWeqZwbhMXx9iXa9vIO6OXYCkBU-EbwfHbBp7eTS8ep25idzs0WFpZoYE2fF4mOLV2_rtTeCCD7c6FVXFT5ZbzY1AL4q7x4pjJZ6SnT-U9g/s72-w400-c-h225/naom_631074d2ddc77.jpg
Diário de Notícias As Últimas Notícias do Brasil e do Mundo
https://www.diariodenoticias.org/2022/09/lula-mantem-vantagem-ampla-entre.html
https://www.diariodenoticias.org/
https://www.diariodenoticias.org/
https://www.diariodenoticias.org/2022/09/lula-mantem-vantagem-ampla-entre.html
true
1998030421484546283
UTF-8
Carregar todas as matérias Nenhum resultado encontrado. Ver mais Leia mais Responder Cancelar resposta Apagar Por Início Páginas Matérias Ver todas Veja também Tópico Arquivo Buscar Todas as matérias Nenhum resultado encontrado para sua busca Voltar ao início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo Há 1 minuto Há $$1$$ minutos Há 1 hora Há $$1$$ horas Ontem Há $$1$$ dias Há $$1$$ semanas Há mais de 5 semanas Seguidores Siga ESTE CONTEÚDO PREMIUM ESTÁ BLOQUEADO PASSO 1: Compartilhe em uma rede social PASSO 2: Clique no link da sua rede social Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, por favor, pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar